Quarta-Feira, 18 de Maio de 2022

Pedro Fagundes de Borba

Estudo ciências sociais na Universidade do Vale do Rio dos Sinos; escrevo para portais; me chamo Pedro Fagundes Borba.

Ver todas as colunas

Blanche e Stanley: embates



  O embate entre masculino e feminino é uma das características mais profundas e complexas de nossas sociedades. Característica marcante em diversos países e culturas ocidentais, se mostra presente, de maneiras diferentes, em diversos momentos e formas culturais, políticas, econômicas e sociais, tendo diferenças várias, porém, com algumas características espirituais comuns, ainda que bastante obscuras e difusas, por isso mesmo, cada caso tendo de ser visto com cuidado.

   Profundamente marcado pelo contexto sulista dos Estados Unidos, Tennesse Williams escreveu sua mais conhecida e aclamada obra, a peça de teatro “Um bonde chamado desejo”, história ambientada em Nova Orleans. Presente ao longo da peça, entrelaçada com questões sociais e políticas, o embate entre uma disputa de mundo através do masculino e feminino, também fortemente colocada com questões de desejo e identidade, se enfatiza nas figuras de Stanley Kowalski e sua cunhada, aristocrata falida, Blanche Dubois.

   Tendo chegado a casa da irmã e do cunhado para morar após falir a fazenda em que elas foram criadas, passa a ter o cotidiano ali, vivendo sob o teto de Stanley, grosso, bruto e violento, mas atraente para Stella, sua mulher e irmã de Blanche. Também passa a ver alguns amigos deles, se destacando um dos amigos de pôquer de Stanley, Mitch. A partir disto, várias situações vão se desenrolando, criando tensões pesadas entre Blanche e Stanley, muito agravados por densos conflitos entre a masculinidade e autoridade masculina de Kowalski e a libertinagem manipulativa de Dubois.  

    Entre os episódios que vão acontecendo nesta situação, além do final, se destacam algumas atitudes de Stanley, hábitos de Blanche e fatos que vão acontecendo a partir destes. Dos personagens que estão para além do trio de marido, mulher e a cunhada, se destaca Mitch, um dos amigos de Stanley com quem Blanche acaba se aproximando, pelas características dele. Ele surge primeiramente como um amigo de pôquer de Stanley, em uma noite em que se  reuniram no apartamento para jogar. Para falar da importância deste personagem, ele termina sendo o homem fraco, ingênuo que gosta da amizade e da paz, e que termina se deixando levar pela mulher manipulativa, Blanche, dama sulista decadente que, entre seus momentos, marcantes dela com Mitch, um dos diálogos em um encontro, onde afirma que metade do charme de uma mulher é ilusão. Em qualquer contexto, usa a roupa da dama, na cena em questão, a peça se passa no verão de Nova Orleans, use suéter. No fim Stanley fala com ele sobre Blanche e se afastam.

     Falando dos momentos entre Blanche e Stanley, se destacam cenas de tensão sexual, calor, Stanley batendo na esposa, expondo suas características e tentativas de controle nas situações. Pelas agressões cometidas, o destaque sendo a noite do pôquer em que, após beber cerveja jogando, Stanley enlouquece, querendo tirar o tesão do corpo, e sai, chegando a bater na esposa, havendo, no fim da noite, ela pondo a cabeça em seu peito, Blanche fala sobre com a irmã Stella. Fala deste problema de Stanley, destacando estas questões de violência, Stella sempre voltando e ficando, forte desejo sexual envolvido. Os cunhados falam mal um do outro, sentem desejo sexual, Stanley motivado pelo ódio que sente por Blanche e suas manipulações, ela por ser libertina e afetada, traumatizada e com problemas mentais clínicos. Os pontos mais graves, expressão da força de Stanley, ocorrem na noite em que Stella, sua esposa grávida, tem o bebe na maternidade, enquanto Stanley estupra Blanche, como forma de autoridade e poder. O ponto final ocorre quando Stanley a envia para ser submetida a lobotomia, pelos embates, condições psíquicas e, principalmente, se livrar dela, afirmar de vez seu poder e posição. Termina com Stella receosa vendo o que houve com a irmã, ela sendo levada na cena, Stanley a chamando, incentivando a não ver ruim, indo para jogo de cartas.

     Os dois personagens centrais, Blanche e Stanley, transitam com muita caracterização e força pelas relações de gênero, tanto em suas identidades, suas construções e meios, quanto nos poderes e forças de cada para fazer e agirem, o mais forte no fundamental predominando. Além das influências de identidades, também se fazem presentes alguns aspectos sociais no sentido de que os espaços ocupados por eles na sociedade os influenciam, sendo Stanley um operário com passagem pelo exército e Blanche uma falida aristocrata, confinados ao pequeno apartamento de Stanley, um antigo prédio decadente, charmoso anteriormente, num bairro pobre de Nova Orleans.

   Conforme a peça se encena, as características e as histórias vão se mostrando, enriquecendo o contexto e fazendo os momentos mais impactantes, sobretudo o final, estarem cercados de momentos complexos, situações densas e enroladas que serão desenroladas por alguém, Stanley no caso, por sua força e influência de homem na sociedade machista. Sendo a disputa pelo ambiente marcada entre eles, Stanley usa dos privilégios para se sobressair, respondendo tanto algumas características da cunhada como sua forma de poder e privilégio masculino, ainda que seja pobre. Tennessee Williams conseguiu criar uma peça em que os personagens refletem profundamente as características de seus respectivos gêneros, cada um disputando com suas armas e formas aquele lugar, e prevalecendo a força masculina, pelo espaço social e cultural que esta ocupa. Um dos mais profundos retratos das disputas de gênero e das desigualdades entre as mesmas, melhores retratos do masculino e do feminino.












Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2022, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.