Segunda-Feira, 28 de Setembro de 2020

Daniel Marx

Pós graduado em criação publicitária e planejamento de propaganda, Pós graduado em Política brasileira e socioeconomia. Com formação em Marketing, Arte Cênica. Consultor Político.
Com diversos cursos na área de produção, direção, roteiro de cinema e TV. Vasta experiência na área de teatro, escritor de diversos livros de auto ajuda, ficção e acadêmico, poeta e roteirista.

Política é muito sério e a sociedade precisa de uma linguagem clara e objetiva.
Arte é algo mágico e necessário e são sobre estes dois temas que sempre vamos falar.

Ver todas as colunas

Intolerância e discriminação



 

INTOLERÂNCIA

 

 

Chegamos ao século XXI. Estamos na era da globalização, da unificação, da tecnologia e acordos comerciais entre nações.  O mundo que todos buscavam e sonhavam desde a antiguidade.

                Mas, onde erramos? Afinal o avanço da tecnologia e da medicina nos proporcionou a termos chegado até esse instante da história. Desde a revolução industrial, a  descoberta da Penicilina, a chegada do homem a lua, o mundo avanço a passos largos em busca de uma vida melhor, mais saudável, mais longeva e de facilidades.

                Temos as melhores tecnologias para meio de transporte, temos o 5G e estamos avançando, órgãos mecânicos que possibilitam uma vida mais adequada para quem perdeu um órgão. Temos satélites que nos mostram quase tudo que precisamos saber sobre a natureza e até escaneamento de solo e subsolo para encontrar artefatos e até petróleo.

                Era isso afinal que queríamos e que continuamos a buscar ainda mais o avanço da humanidade.

                Então o que nos falta? Por que estamos perdendo a humanidade? A sensibilidade, o amor ao próximo. Estamos menos pacientes, menos intolerantes, mais arrogantes, mais agressivos.

                Por que a diferença me assusta e preciso combate-la?

                O mundo está cansado de ser acusado, julgado, sentenciado e morto pelo simples fato de ser negro, mulher, gay, religioso, latino, mulçumano, ter uma posição política diferente ou seja lá o que for e o que a sociedade que se acha majoritária e no topo da cadeia alimentar pensa e define o que é uma sociedade padrão, pensa e define o que é ser um ser humano padrão.

Hitler já pensava assim, Mussoline,  Stalin, Mengistu, Pinochet, Francisco Franco e tantos outros também queriam que pensássemos e agíssemos iguais a eles. E milhões de pessoas pagaram com a própria vida por isso.

Hoje as guerras em boa parte do mundo não se trata de um comando ditador, mas de uma intolerância humana, a não aceitação da diferença do outro, o medo, a insegurança, e para combater isso por que não matar o que é diferente?

A poucos dias o mundo assistiu estarrecido o assassinato do americano George Floyd por um policial que tem o dever de proteger o cidadão branco, negro, amarelo ou seja a cor que for.

O mundo protestou. O grito que ainda estava preso na garganta de tantos negros finalmente ecoou pelos quatro cantos da terra.

Isso não quer dizer que as mortes pararam, quer dizer que as pessoas cansaram de se calar diante das atrocidades que a sociedade impõe a quem na visão deles fogem ao padrão. Os negros continuaram a ser mortos nos dias seguintes em todas as partes do mundo. O gays e religiosos continuam a ser descriminados e assassinados. As mulheres morrem a cada minuto por discordar dos homens. As crianças continuam sendo abusadas e mortas.

Mas a diferença agora é que o mundo não se cala mais, as pessoas cansaram de fechar os olhos a tanta violência gratuita. As redes sociais passaram a ser uma arma em favor da sociedade quando se trata de denúncia.

Nos realmente chegamos aos século XXI, porém voltamos a ser bárbaros, afinal de contas hoje poluímos mais, matamos mais e somos muito mais intolerantes com o próximo.

Já chega de violência por padrões. Chega de discriminação pela diferença. Chega de assassinatos por discordar da cor da pele, do sexo, da opção religiosa e de vida de qualquer um.

Isso deve acabar aqui.

Nossa próxima geração não deve viver esse holocausto sem fundamento que vivemos hoje.

E que nossa luta sirva de exemplo para os que virão. Assim como a luta dos nossos antepassados nos deram força e abriram tantas portas para  nossa geração.

Assim como a Luz dos que lutaram no passado nos ilumina hoje. Que a nossa luta hoje iluminem os que virão depois de nós.

               

 










Imóveis em São Roque

Apartamentos

Áreas Industriais

Casas

Chácaras

Comercial

Condominios

Fazendas

Haras

Sítios

Terrenos

Anuncie seu Imóvel

Além de consumir o serviço de Aluguel de louças para festas.

Quando se pensa na realização de um evento social, seja ele uma festa familiar ou uma recepção empresarial,Aluguel de louças, a preocupação com a aquisição dos pratos, talheres e outros equipamentos a serem usados é grande. Além de consumir bastante tempo, o custo e a logística de obtenção dos mesmos é significativa.

Aluguel de louças para festas Moema, a preocupação com a aquisição dos pratos, talheres e outros equipamentos é significativa.



Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2020, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.