Terça-Feira, 17 de Setembro de 2019

Dhian Carlos Thierizi

Dhian Carlos é um jardineiro iniciante.

Ver todas as colunas

Melhores horas desses dias que não merecemos - Parte Final



 -Posso levar essa tela usada pra casa?

-Sim, claro. O que você vai fazer com ela?

-Um cercadinho pro meu gato.

-Acho que será o primeiro cercadinho feito pra gatos da história. Que porra você quer com um cercadinho, Jardineiro?

-Meu gato tá fugindo toda noite pra ir na igreja.

 

Ceariba entra na conversa e, numa mistura confusa de interesse e ironia, diz:

-Eeeeita mofemba! Eu vou é comprar um terninho de presente pra ele! Que bichin mais abençoado!

-Ele tá indo na católica, Ceariba.

-Oooxi, mas aqueles grito que ele dava quando nóis tava na tua casa, fio? Tava mais pra crente, né não?

-Ou ele estava comendo uma gata ou estava assustado com tua cara de buldogue.

 

Quando chamamos o Ceariba de cara de buldogue, ele fica muito puto. Essa é uma comparação realmente indiscutível.

Esbravejando, ele sai quase que instantaneamente da conversa.

 

-Faça o que quiser com isso, Jardineiro. Inclusive uma coisa imbecil dessas. Você já terminou de roçar a parte de trás?

-Do teu cu?

-...

-Terminei, mas uma vidraça foi pro pau.

 

Quando cheguei nos fundos da casa, vi a merda feita.

3 m² de vidro em pedaços. Aquilo ia ser uma nota!

-Você não colocou a porra da rede pra proteger? Voa pedra pra caralho! Você sabe disso!

-Eu achei que devagarzinho dava...

-Fica tranquilo que devagarzinho teu pagamento semanal vai dar também!

-Pera aí que eu tenho uma ideia.

 

Duas horas da tarde.

O Jardineiro havia terminado o gramado.

Havia acabado também com a vidraça.

Desgraça.

 

Quando voltei para a parte da frente da chácara, Ceariba e seu coração de criança já haviam esquecido o episódio do apelido.

 

-Tu só fica pra cima e pra baixo, Diego? Num trabaia mais não? Tá parecendo prupietário, uai...

-Eu tô mais é pra própriotário, Ceariba. E Diego é meu primo.

-Ah, é quase a mema coisa.

-Tá bom então, pau no cu!

-Diabéisso? Tá falando assim mode u quê?

-É a mesma coisa, Ceariba.

 

Ele começou a rir e antes que eu questionasse sua incoerente loucura, disse:

 

-hahahahahahaha... eu sempre sube que teu sonho era segurar uma rola!!! Hahahaha...

 

O Jardineiro vinha dos fundos e segurava uma pomba morta. Estava sem penas na altura do peito e aquela situação realmente começou a ficar estranha...

 

-Não é uma rolinha, imbecil. É uma amargosa.

-É uma rola grande? Gulooooso...hahahahaha

-Tem como ficar pior essa tarde, Jardineiro? Tem? Me explica cara! – Eu disse.

 

O Jardineiro, com os olhos faiscando, como se tivesse descoberto a cura pro Alzheimer, explicou o seu plano:

-Vamos colocar a pomba perto dos cacos e dizer que ela bateu na vidraça. Essas coisas acontecem, esses bichos voam rápido demais, são meio ceguetas, não vai ser difícil do patrão acreditar.

-O queeeeeeê??? A mãe desse animal transou com o Super-Homem?! Você colocou essa pomba na máquina do Capitão América?!

-Você é burro? Se fosse uma Super-Pomba não morreria nesse acidente...

 

A acidez do Jardineiro definitivamente veio numa hora imprópria.

 

-O Ceariba tá certo! O detalhe é que ao invés de ficar na tua mão, essa pomba vai entrar é no teu rabo!!! Onde você encontrou ela, pelego?!!!

-Matei no ninho. Ali perto de onde iria cagar e o ronda não deixou. Mansinha a bichinha, tava chocando... Praticamente encostei a mão antes da pedrada.

-Santo Deus!!! Que tipo de ser humano você é?

-Um ser humano que não vai pagar uma vidraça, nem fodendo!

 

Ceariba, caolho, que nasceu no Ceará, mas que antes de vir pra São Paulo, também morou na Paraíba, recuperado do ataque de riso e imbuído de uma incrível sensatez, me diz:

 

-Calma, fio, não é o fim do mundo, a gente dá um jeito nisso. Três horas já, vamo rastelá essa grama e depois resolvemo essa muléstia.

-Pega os rastelos lá na casinha, por favor. Quatro horas a gente vaza...

-É seu pai que vem buscar nóis hoje, Dhian?

-Não, Ceariba, ele não vem mais.

 

-Ceariba...

-U quê?

-Você lembrou do meu nome.










Imóveis em São Roque

Apartamentos

Áreas Industriais

Casas

Chácaras

Comercial

Condominios

Fazendas

Haras

Sítios

Terrenos

Anuncie seu Imóvel

Além de consumir o serviço de Aluguel de louças para festas.

Quando se pensa na realização de um evento social, seja ele uma festa familiar ou uma recepção empresarial,Aluguel de louças, a preocupação com a aquisição dos pratos, talheres e outros equipamentos a serem usados é grande. Além de consumir bastante tempo, o custo e a logística de obtenção dos mesmos é significativa.

Aluguel de louças para festas Moema, a preocupação com a aquisição dos pratos, talheres e outros equipamentos é significativa.



Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2018, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.