Quarta-Feira, 1 de Dezembro de 2021

Thales Kroth de Souza

Thales Kroth de Souza é profissional de serviços financeiros, Tecnólogo em Gestão Financeira pela Unisinos, Técnico em Contabilidade, Bacharelando em Administração, Colunista em sites sobre finanças, tecnologia e relacionamentos.

Ver todas as colunas

O que se aprende com o homem das cavernas



Eis os tempos que não voltam, o presente não está tão longe do futuro próximo.

Não ignore as pequenas coisas, elas facilitam a vida de muita gente por aí. Quanto menos se espera, entende-se que se as pessoas nasceram foi por uma causa: pelo menos cumprir seu papel social.

Se por acaso você analisar a história, verá que todo objetivo proposto era de seguir em frente, continuar mesmo que os caminhos conduzissem para lugar algum.

Nos tempos glaciais ou nas mais medidas épocas, eram tempos difíceis de vegetação e precisava-se caçar para comer. O ser humano teve que correr atrás para preservar a sua história, manter a sua cultura perante todos os obstáculos que poderia enfrentar. Não seria mais fácil desistir? Não seria mais fácil no primeiro frio, na primeira grande dificuldade deixar o reino animal se consumir? O que ele ganhou persistindo, lutando para salvar sua pele e a de seu gênero? Certamente que, se acaso ele não salvasse a sua família, não estaríamos povoando a Terra, não é mesmo?

A vida é feita para quem deseja se perpetuar, não no poder como muitos acreditam controlando as pessoas, não como sinônimas de vida eterna, a vida é feita de espinhos, aprendizagens, altos e baixos, e aqueles que aprenderam com suas morais compreendem o que é necessário para seguir em frente com a felicidade, saúde e sentimentos em comum.

Ninguém merece desistir, ninguém merece só uma chance, o mercado da concorrência está aí para provar o contrário e destravar toda língua que deseja ir devagar. As pessoas não querem caminhar a passos pequenos sejam em sonhos, pensamentos, espaços físicos ou metas. Todos desejam o bem estar agora, desejam se sobressair na sua alta performance. Essas pessoas estão certas. Se o mundo fosse a pequenos passos, todo mundo estaria andando de veículos inferiores agora.

Não deve ser agradável não progredir no tempo. No esporte os atletas progredem, na dança os dançarinos se movimentam, nas ciências os cientistas descobrem novos modelos para doenças. A informação corre por um clic e invade seu celular em questão de segundos, basta você ter vontade e saber buscar a informação.

Se alguém lhe disser que não vale a pena continuar em alta velocidade, essa pessoa fez-lhe bem avisando-o sobre os perigos nas estradas, mas está completamente enganada sobre a velocidade da sua vida, dos seus caminhos. Pessoas chegam ao sucesso diariamente. Como chegam? Simples, para algumas pessoas só conquistar o sorriso das pessoas já é o suficiente. Para casais a mais de 50 anos casados, manter esse casamento já é o seu sucesso. Cada pessoa possui uma imagem de vitória interna e está estabelecido que o está dentro de cada ser humano é o que realmente importa.

A história tem muito ainda a nos ensinar. O homem das cavernas não saiu de seu habitat natural, da rocha para a luz da noite para o dia. Cada tentativa, cada medo que sentia enquanto descobria o que estava à disposição o fez ver o mundo com outros olhos.

Veja sua vida também com outros olhares de talento, ansiedade e resiliência. Desmonte o quebra-cabeças dos desafios e ative a energia positiva das suas vitórias. Todo mundo tem certeza, inclusive o homem das cavernas, que a sua vontade vai superar qualquer desafio.

 

Envie para ksthales@gmail.com dúvidas, informações, sugestões e comentários.












Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2021, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.