Quarta-Feira, 1 de Dezembro de 2021

Thales Kroth de Souza

Thales Kroth de Souza é profissional de serviços financeiros, Tecnólogo em Gestão Financeira pela Unisinos, Técnico em Contabilidade, Bacharelando em Administração, Colunista em sites sobre finanças, tecnologia e relacionamentos.

Ver todas as colunas

Planejamento, colhendo frutos para o futuro



Realmente, planejamento é algo que faz a vida de cada pessoa ter mais sentido se as mudanças da agenda, do cotidiano estão respondendo conforme o objetivo inicial.

Não é de hoje que empresas desejam adotar novos processos e se atrapalham por não completarem os passos corretamente. Isso reflete como os concurseiros que não estudam conforme o desejado e se desafiam realizando provas as quais não estavam preparados. Um erro caro, porque a taxa para aplicação de testagem de conhecimentos não será revertida em aprendizagem, mas em uma tentativa vã.

Muitos investimentos são caros demais para não se dar conta que a sua aposta é alta demais para se concluir. Normalmente as pessoas buscam serviços que complementam aquilo que lhes faltam; há algumas que se desafiam buscando sozinhas; existem mais um grupo seleto de personagens que configuram a problemática "mudança" algo venenoso e impensável para suas vidas. Este artigo é dedicado a elas.

Durante a passagem pela adolescência, as pessoas são obrigadas a sentirem algumas responsabilidades que mudaram suas vidas por completas ou boa parte. Influências, amigos, o meio social, um setor desconhecido, são diversos integrantes que fazem parte do projeto de vida, cabe ao indivíduo entender se isso será útil ou não para sua vida.

Bem, o pensamento que rege o comportamento e este último que define os objetivos de vida do indivíduo. Ele pode ter tido um início de vida tumultuado, perda dos pais, conforto de parentes, abusos, violência, "n" problemas para se querer um resultado positivo. Talvez essa revolta que infla em seu peito não tenha a força suficiente para domar a sua mente e partir para a criminalidade.

Um fato não justifica outro para um terceiro. Quer um exemplo? Fui roubado, então roubarei uma loja. Totalmente invertido. Caso o roubo tenha sido de uma pessoa, a ideia correta e original seria a recuperação e não descontando o meu problema em um terceiro.

Se na incapacidade de situações difíceis diversas pessoas educaram seus filhos, e são elas: donas de casa, pedreiros, marceneiros, serralheiros, pessoas com baixa escolaridade, e, mesmo assim, sentem orgulho de suas profissões pela atividade econômica que objetivam em suas vidas, conquistam que o futuro retribuiu, não exercem nenhuma natureza duvidosa com delitos criminais, por quê adolescentes e jovens que passam menos problemas que pais similares devam passar? É o fruto da mentalidade associada com personagens influentes para o mau comportamento? É a dosagem incorreta de adrenalina para o errado que faz ter coragem de realizar furtos, roubos, conflitar pessoas, fazer muita gente de refém em sua mentalidade infrutífera que age desventurada?

Não existe pensamento plausível confortante em um projeto de mudança de vida se não começar pelo próprio indivíduo. Se ele não desejar mudar, ninguém conseguirá o fazer, nem terá uma ação satisfatória sobre o mesmo.

As pessoas boas comandam o mundo não só porque estão em maior número, todavia exercem maior influência que a criminalidade e adiantam o progresso, o desenvolvimento e a força de vontade suficiente que faz deixar tonta a mente do pior cenário possível. Essa força diferente é a estratégia adotada por milhares de pessoas nas atitudes sem tomar ação alguma.

Um caso real? No passado, um líder militar chinês chamado Sun Tzu do século V a.C. dizia que a melhor vitória é aquela que o vencedor não precisa entrar em batalha, nem perder soldados, muito menos gastar energia.

Aí está uma aplicação suscetível para muitos problemas: porque se você deseja entender caso uma pessoa falte com a verdade, escute-a diversas vezes e logo a pessoa que se traduz honesta se perderá contando histórias diferentes, enquanto a pessoa com a história real não alterará uma vírgula.

Em caráter filosófico parece ter força, mas na vida real não? É porque todas as vezes que o ser humano avalia suas ações ele interpreta como protagonista. Basta passar as mesmas ações para a pessoa que ele mais segue nas redes sociais, ou aquela que age mais intensamente em suas orientações de vida dizer que quem faz tal atitudes precisa ser aplaudida, pronto, a sua mente já entende o recado e fica satisfeita, e tudo parece fazer sentido.

Não seja por um pensamento que uma adolescente irá para o caminho errado, basta ouvir pais de famílias que passaram pela mesma situação com seus filhos. Tem dúvida? Busque informações. Tem medo? Escute seu coração. Quer uma palavra? Leia-me, e o resta seus olhos irão responder.

Envie para ksthales@gmail.com dúvidas, informações, sugestões e comentários.












Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2021, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.