Quarta-Feira, 5 de Agosto de 2020

2/7/2020 - São Roque - SP

Julio Mariano comenta: Nova duplicação da Raposo, São Roque não pode mais pagar a conta






 

 

Quando no passado foi anunciado que seria construído um contorno rodoviário com a intenção de retirar o trânsito da Rodovia Raposo Tavares de dentro de nossa Cidade muito se comemorou. Desde então a história é conhecida, foi feito um “provisório” que acabou ficando por muito tempo, e o trânsito continuou impactando as ruas do município de São Roque.

 

Na Administração passada veio a notícia que seria feito um novo contorno e as esperanças voltaram. Foi construído uma rotatória no bairro do Taboão, chamada de “gota”, e por causa dela foi desativado o acesso elevado à rodovia próximo ao acesso da Rodovia Quintino de Lima que havia sido construído no contorno provisório.

 

Esta obra teve pouca intervenção dos políticos da região, permitindo que a ARTESP (Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte no Estado de São Paulo) e a CCRViaOeste (Concessionária Administradora da Rodovia Raposo Tavares) realizassem a maior “lambança” no trânsito da região central do município.

 

Como a construção do novo contorno e fechamento do elevado, a Rodovia Quintino de Lima e o Bairro do Taboão ficaram sem acesso direto. Com isso os veículos que usavam o elevado voltaram a usar as ruas do município e hoje, muitos motoristas que usam o novo contorno mas querem acessar o Bairro Taboão e adjacências, ao invés de irem até o distrito de Maylasky para retornarem, se aventuram a fazer conversões irregulares e perigosas no Km 57, próximo ao Hotel Alpino, o que tem causado inúmeros acidentes e até mesmo mortes.

 

Se o projeto contemplasse um acesso ao bairro do Taboão e a Rodovia Quinto de Lima, que é uma estrada vicinal do Governo Estado, certamente este novo contorno não impactaria tanto no trânsito das ruas centrais de São Roque e muitos acidentes seriam evitados.

 

Em 2018, os são-roquenses foram informados que estava prevista para 2021 a duplicação da Raposo Tavares no trecho que cruza o município, a partir do seu eixo central. Para apresentar o projeto, foi realizada uma Audiência Pública para a apresentação dele à população em geral. Na oportunidade, foram apresentadas inúmeras sugestões de mudanças e alterações ao referido projeto, demonstrando discordância a ele e visando adequá-lo aos interesses e as necessidades do município, que será impactado pelo projeto, e dos munícipes, já que muitos deles residem ao redor da rodovia. O vereador Julio Mariano se manifestou publicamente e solicitou que a rotatória do Km 63, que dá acesso à Vila Nova São Roque e a outros bairros, não fosse desativada.

 

Recentemente chegou ao conhecimento do vereador Julio Mariano que, mesmo o país estando em pandemia, as tratativas para início da duplicação do trecho entre o acesso ao bairro Caetê, no km 47, até a rotatória da Vila Nova São Roque, no km 63, já estão acontecendo. “Por essa razão, mobilizamos a Comissão de Assuntos Relevantes (CAR) instituída na Câmara Municipal, para acompanhar as obras da Raposo Tavares, o andamento e as alterações do projeto, e, principalmente, defender os interesses da população são-roquense”, explica.

 

Julio Mariano conta que a CAR da Raposo Tavares é integrada também pelos vereadores Cabo Jean, Etelvino Nogueira, e Rafael Tanzi que, no último dia 26 de junho, realizaram uma reunião por vídeo conferência com representantes da CCRViaOeste, onde foram informados que será construído um acesso à região dos bairros Carmo e Caetê, que a rotatória da Vila Nova será mantida e que o acesso elevado, próximo à Rodovia Quintino de Lima, será reaberto somente no sentido Capital-Interior, após a conclusão da duplicação, o que pouco contribui para desafogar o trânsito nas ruas centrais da cidade.

 

Na ocasião, ficou claro que o novo projeto apenas pretende viabilizar a colocação de barreiras no eixo central da pista para impedir que os motoristas acessem de um lado para outro, não atendendo as reais necessidades do município, já que não serão construídas novas alças de acesso ao Bairro Taboão, à Rodovia Quintino de Lima e, muito menos, um retorno no Km 57, próximo ao Hotel Alpino, que segundo a CCRViaOeste, foi pedido à ARTESP para ser incluído no projeto mas a agência não autorizou.

 

Assim sendo o Vereador Julio Mariano, Presidente da CAR, propôs a realização de nova conferência, desta vez com a participação dos vereadores, do prefeito, deputados e representantes da CCRViaoeste e da ARTESP. “Precisamos estar atentos para não sermos mais uma vez prejudicados pelos caprichos da ARTESP, que em outras situações atendeu os interesses dos usuários da rodovia em detrimento dos interesses dos são-roquenses. Estamos lutando para que nosso município não tenha que pagar de novo esta conta”. Finalizou Julio Mariano do PSB Vereador de São Roque.



Comunicar erro nesta notícia

Se você encontrou erro nesta notícia, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente ao Guia São Roque.


Enviar esta notícia por email

Imóveis em São Roque

Apartamentos

Áreas Industriais

Casas

Chácaras

Comercial

Condominios

Fazendas

Haras

Sítios

Terrenos

Anuncie seu Imóvel

Além de consumir o serviço de Aluguel de louças para festas.

Quando se pensa na realização de um evento social, seja ele uma festa familiar ou uma recepção empresarial,Aluguel de louças, a preocupação com a aquisição dos pratos, talheres e outros equipamentos a serem usados é grande. Além de consumir bastante tempo, o custo e a logística de obtenção dos mesmos é significativa.

Aluguel de louças para festas Moema, a preocupação com a aquisição dos pratos, talheres e outros equipamentos é significativa.



Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2020, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.